domingo, 31 de março de 2013

Boa Páscoa!!!!!!

 
No Antigo Egipto, o coelho simbolizava o nascimento e a nova vida. Alguns povos da Antiguidade consideravam o coelho como o símbolo da Lua, portanto, é possível que ele tenha se tornado símbolo pascal devido ao facto de a Lua determinar a data da Páscoa - a Páscoa é celebrada no primeiro domingo após a primeira lua-cheia que ocorra depois do equinócio da Primavera. Este ano, o equinócio foi a 20 de Março e a Lua-Cheia a 27. Daí a Páscoa, este ano ser "tão cedo", a 31.
 
O certo é que os coelhos são notáveis por sua capacidade de reprodução, e geram grandes ninhadas, e a Páscoa marca a ressureição e a "passagem" para uma vida nova, tanto entre os judeus como entre os cristãos.
Existe também a lenda de que uma mulher pobre coloriu alguns ovos de galinha e os escondeu, para os  dar aos filhos como presente de Páscoa. Quando as crianças descobriram os ovos, um coelho passou correndo. Espalhou-se, então, a história de que o coelho é que havia trazido os ovos. Desde então as crianças sempre acreditaram no coelhinho da páscoa,a história que seus pais contavam para elas. O Coelhinho da Páscoa é a principal atracção entre as crianças.
A figura do coelho está simbolicamente relacionada à esta data comemorativa, pois este animal representa a fertilidade. O coelho reproduz-se rapidamente e em grandes quantidades. Entre os povos da Antiguidade, a fertilidade era sinónimo de preservação da espécie e de melhores condições de vida, numa época onde o índice de mortalidade era altíssimo. No Antigo Egipto, por exemplo, o coelho representava o nascimento e a esperança de novas vidas. A figura do coelho da Páscoa foi levada para a América pelos imigrantes alemães, entre o final do século XVII e início do XVIII.
Assim, coelhos, ovos e chocolate significam felicidade, fertilidade, mudança e vida. Nada mau para um tempo de crise, tenha ela ou não os seus próprios coelhos...

sábado, 30 de março de 2013

Stabat Mater - a música Pascal

Seja-se ou não crente, a verdade é que o «Mistério Pascal» influenciou a mais nobre e universal das Artes: a Música.
 
Aqui ficam, para vosso deleite, umas versões dos Stabat Mater, as peças compostas para mostrar o sofrimento da mãe de Jesus, durante a crucificação.
 
Por ordem: Pergolesi, Palestrina,Vivaldi e Verdi.
 
Espremos que se deliciem com estes momentos tão belos.
 
 
 
 

quinta-feira, 28 de março de 2013

Páscoa animada com maior espetáculo 3D vídeo mapping



“Terreiro do Paço – a nossa praça”

O Terreiro do Paço transforma-se numa tela multimédia gigante, durante o fim-de-semana prolongado da Páscoa – 28 a 31 de março, a partir das 21h00 e até às 00h15, com o espetáculo “Terreiro do Paço – a nossa praça”, pelos artistas Nuno Maya e Carole Purnelle, de participação gratuita, que convida a desfrutar deste espaço requalificado da capital portuguesa.
Trata-se da maior projeção 3D vídeo mapping alguma vez feita em Portugal, com mais de 150 m de comprimento, que dá vida aos desenhos dos mais novos, e do público em geral, através de técnicas de projeção a três dimensões e de uma plataforma interativa touchscreen em tempo real, que transforma a fachada poente do Terreiro do Paço num mural virtual gigante, subordinado à temática da Páscoa e da Primavera.
O projeto comporta uma dimensão expositiva – a projeção em vídeo mapping 3D – que apresenta um filme de 15 minutos construído com a colaboração de mais de 40 crianças, de quatro escolas de Lisboa (José Salvado Sampaio, Parque Silva Porto, Pedro de Santarém e A Voz do Operário - Escola da Graça) que, através de vários workshops, desenvolveram técnicas de desenho, pintura, filmagens e plataformas participativas, juntamente com os artistas.
Para o espetáculo foram produzidos mais de 150 gigabytes de filmagens e mais de 500 desenhos e pinturas, para, no final, criar um filme animado, composto por 22 mil imagens sequenciais adaptadas à fachada do edifício.
A projeção, com uma potência superior a 125 mil lumen, é acompanhada por uma banda sonora original do compositor Sylvain Moreau, difundida num sistema de som com mais de 45 mil watts de potência.
Alternando com a projeção do filme, o público é convidado a participar e a inscrever a sua presença nesta iniciativa, com pinturas de luz – tendo por base uma plataforma interativa e um ecrã táctil em tempo real – que são projetadas no Torreão Poente do Terreiro do Paço e que podem ser partilhadas nas redes sociais. As pinturas serão também fotografadas, gravadas e disponibilizadas na internet, criando assim uma base de dados composta por centenas de artistas no site www.pinturasdeluz.com.
O evento é organizado pela Associação Turismo de Lisboa, em parceria com a Câmara Municipal de Lisboa e a EGEAC, e sob a direção artística de Nuno Maya e Carole Purnelle, do ateliê OCUBO, que assegura a produção dos conteúdos, workshops, animações 2 e 3D, efeitos especiais, pós-produção, edição vídeo, programação interativa, banda sonora e projeção do vídeo mapping.
A iniciativa visa promover o turismo na época da Páscoa, capitalizando o aumento de turistas que visitam a cidade nesta quadra, através do enriquecimento da sua experiência.
Apresentação do espetáculo de 15 minutos, a cada hora, a partir das 21h00, seguido de 45 minutos de interação com o público.

sexta-feira, 22 de março de 2013

Hoje é o Dia Mundial da Água

 
Talvez o maior símbolo da Vida: morre-se sem ela, mais rápido do que na falta de outros elementos (excepto o oxigénio), serve para tudo, sabe bem, é bonita apesar de insípida, inodora e incolor. Em mares, oceanos, rios, fontes, lagos, albufeiras, riachos, torneiras, charcos, copos, tanques ou máquinas de roupa, garrafas, garrafões, reservatórios (incluindo nos automóveis)... (poderia continuar)... e em 70% de nós. Ou mais ainda, se formos menores de idade.

Água. Uma das primeiras questões, quando se explora um novo astro: haverá água? H2O. Tão simples e tão bom. Tão simples e tão bonito. Tão simples e tão essencial. Respeitemo-la, usando-a bem e não a desperdiçando!

quinta-feira, 21 de março de 2013

Chegou a Primavera (embora pelo tempo, não pareça...)

 
Segundo os cálculos da astronomia dá-se o nome de Equinócio da Primavera ao momento exato em que tem início a estação da primavera. A astronomia define então como Equinócio da Primavera o instante em que o Sol, assim como o vemos do planeta Terra, cruza o plano do equador celeste, isto é, a linha do equador terrestre que é projetada na esfera celeste. Quando este evento acontece em março, chama-se de Equinócio da Primavera no hemisfério norte. No hemisfério sul o Equinócio da Primavera acontece em setembro.
Equinócio é uma palavra em latim que aglutina dois termos com significados diferentes. "Aequus" significa "igual" e "nox", "noite". O termo quer dizer literalmente "noites iguais", isto porque nesta altura a noite e o dia têm sensivelmente a mesma duração, 12 horas.
 
Tradições do Equinócio da Primavera
A chegada da primavera é um evento sempre muito celebrado em todo o mundo, porque marca o fim do inverno, uma estação sempre associada ao mau tempo, desconforto e em termos históricos escassez de comida. Para além disso, trata-se de uma celebração do renascimento da Natureza, e historicamente era a altura em que se celebravam os festivais de fertilidade e abundância. Na primavera é tradição também fazerem-se limpezas gerais nas casas. O bom tempo permite que se abram as janelas nas casas para que estas possam arejar depois de meses completamente fechadas durante o inverno. Nesta altura as pessoas livram-se de algumas das coisas velhas que tinham guardadas e compram coisas novas.
 
Curiosidade sobre o Equinócio da Primavera
Os ovos desempenham um papel importante nas comemorações do Equinócio da Primavera em todo o mundo, uma vez que são também um símbolo de fertilidade. Conta um mito antigo que é possível equilibrar um ovo sobre a sua base, numa superfície plana, no momento exato em que se dá o Equinócio da Primavera, isto é, no momento exato em que dia e noite estão em equilíbrio perfeito.

terça-feira, 19 de março de 2013

Dia do Pai

«Quando eu tinha 14 anos, o meu pai era um ignorante e eu sentia vergonha de estar ao pé dele. Aos 21 fiquei espantado com toda a sua sabedoria… o que o malandro conseguiu aprender em sete anos!»
Mark Twain

 



Diz a lenda que o Dia do Pai teve origem na Babilónia, há mais de quatro mil anos, quando um rapaz chamado Elmesu decidiu homenagear o seu progenitor, moldando um cartão em argila no qual lhe desejava saúde e uma boa vida. Contudo, parece mais verosímil — ou, pelo menos, existem dados que a consubstanciam — a história de Sonora Louise Smart Dodd, em 1909, em Washington, que teve a ideia de celebrar um Dia do Pai e o propôs durante um sermão dominical no Dia da Mãe. Sonora Dodd queria homena­gear o seu pai, William Jackson Smart, veterano da Guerra Civil Americana, um homem de grande fibra que criou, sozinho, os seus seis filhos, após o falecimento da mulher, em 1898. Orgulhosa pelo facto de o seu pai sustentar toda a família e superar todas as adversidades sempre de cabeça erguida, Sonora enviou em 1919 uma petição para a criação da data à Associação Ministerial de Spokane, cidade ao norte de Washington. O pedido foi endos­sado pela Entidade de Jovens Cristãos da cidade e o primeiro Dia dos Pais da História foi comemorado em 19 de junho do mesmo ano, aniversário do pai de Sonora Smart.

Com o reconhecimento oficial da data surgiu o costume de presentear os pais com rosas vermelhas, dado que as rosas brancas eram usadas para homenagear os pais já falecidos. A partir daí o costume pegou e espalhou-se rapidamente por todo o estado de Washington. Em 1924, o então presi­dente Calvin Coolidge sugeriu um Dia dos Pais nacional, sugestão que só foi oficializada 42 anos depois, com uma proclamação presidencial de Lyndon Johnson, estabelecendo o terceiro domingo de junho como o Dia dos Pais americano. Algumas fontes dizem, no entanto, que o feriado só foi oficiali­zado em 1972, pelo presidente Richard Nixon.

Estando o nosso país na órbita das nações que tiveram a influência judaico-cristã, a data passou a ser comemorada a 19 de março, dia em que a Igreja Católica celebra São José, padroeiro dos pais e símbolo do trabalho. Não camos aqui entrar em dissertações ou fazer juízos de valor sobre a pater­nidade de São José… até porque se desconhece praticamente tudo, salvo o presépio e a carpintaria, mas acho que a história deles não começou exata­mente como a vossa — pelo menos a acreditar no poema de Alberto Caeiro, heterónimo de Fernando Pessoa, descreve a descida do Menino Jesus à Terra — e o outro Pai, o que estaria no Céu, segundo as palavras do próprio Cristo, a acreditar no relato dos Evangelistas (quiçá um bocado duvidoso, mas é o material de que dispomos) até O abandonou… pois é. A paternidade que reclama um actual pai nada tem que ver com isso, mas é de «carne e osso», sem santidades mas com alegria, com sentimentos e com a emoção e a angústia existencial dos humanos. É por isso que, neste Dia do Pai, vai ficar sem palavras e as lágrimas vão correr quando o seu filho ou a sua filha lhe trouxerem os trabalhos que fizerem na escola, nesse dia. O Pai, com «P maiúsculo», é o leitor deste blogue, e não São José ou o «gato do vizinho».
E, sabia?, a paternidade aumenta o bem-estar dos homens, segundo um estudo realizado nos EUA? Pense bem nisso quando eles lhe moerem o juízo e lhe apetecer estrafegá-los (não estrafegue…) ou emigrar para uma ilha deserta… fica com os miolos rebentados e sente-se nas lonas, mas saiba que, segundo estas universidades todas, será um homem feliz!

sexta-feira, 15 de março de 2013

Dia Mundial do Sono

É aproveitar - Dia Mundial é hoje, mas amanhã é sábado! E depois vêm as férias!!!
Aproveitem, crianças! Bem merecem, depois de um período de trabalho que é sempre intenso.


Relembramos o estudo do sono que fizemos na nossa Escola: pode ser visto aqui.
 
 

quinta-feira, 14 de março de 2013

Astrobeijo: um mergulho no maravilhoso mundo das palavras



Mãe e filha conversam sobre a origem das palavras no jardim, observando as estrelas. E enquanto o sono não vem, ficam inventando novos nomes para os objetos. Quando Mila mostra as Três Marias, Lila pergunta à mãe porque elas têm esse nome. Começa um diálogo curioso e divertido sobre a origem das palavras e passam a dar novos nomes às coisas e objetos.

Mila, a mãe, propõe a expressão “astrobeijo” para que Lila memorize a palavra “astrolábio”, o equipamento utilizado pelos antigos navegantes em suas viagens. Enquanto isso, as duas se divertem a valer explorando diferentes nomes, como Pindorama, Brasil ou bate-bate. Mãe e filha passam horas brincando de trocar o nome das coisas, a partir de um código só para elas. Mergulham, assim, no mundo mágico das palavras, na maneira como a linguagem funciona.
A autora, uma niteroiense que estudou e reside em Nova Friburgo, é conhecida no meio literário como tradutora da Editora Bertrand-Grupo Record. Já traduziu diversos best-sellers de Nora Roberts e outros escritores e agora se lança como autora de livros voltados ao público infantil. Sua ideia é estimular a imaginação dos jovens leitores e ampliar seu vocabulário. As crianças se identificam logo com a história, motivadas também pelas delicadas ilustrações da portuguesa Isabel Sousa.
 

terça-feira, 12 de março de 2013

A EB1-SJD nos Jogos Matemáticos


                                         
 




No dia 1 de março,  realizou-se em Évora o  nono Campeonato Nacional de Jogos  Matemáticos. A competição nacional reuniu cerca de 1.700 estudantes de 350 escolas dos três ciclos do ensino básico e secundário que disputaram em simultâneo  12 torneios.
  




Jogos
1.º CEB
2.º CEB
3.º CEB
Secundário
Semáforo
X



Gatos e Cães
X
X


Rastros
X
X
X

Hex

X
X
X
Avanço


X
X
Produto



X
 
Parabéns a todos os alunos que representaram o nosso Agrupamento, em especial ao Pedro Rodrigues, do 1ºciclo,  que conseguiu um honroso 9º lugar no jogo Gatos e Cães.                        
Representantes do 1º Ciclo:
Pedro Rodrigues – 4ºC – Jogo do Gatos e Cães
Tiago Saavedra – 4ºD – Jogo do Semáforo
Mariana Prazeres – 4ºC – Jogo do Hex


segunda-feira, 11 de março de 2013

Riso - uma experiência a sério! A não perder.

A Fundação EDP apresenta no Museu da Eletricidade uma grande exposição dedicada ao riso. Organizada com as Produções Fictícias, “Riso: Uma Exposição a Sério” conta com pintura, desenho, instalações, vídeo, fotografia, escultura e performances, cinema, BD, programas de televisão, espectáculos, literatura, obras de artistas nacionais e internacionais, oriundas de alguns dos mais importantes museus e colecções particulares.

Comissariada por José Manuel dos Santos, João Pinharanda, Nuno Artur Silva e Nuno Crespo, este projeto parte de uma profunda investigação acerca dos dispositivos cómicos e humorísticos, tal como foram e são utilizados por diferentes protagonistas, em diferentes tempos e em diferentes áreas
 “E porque nada é mais sério do que o riso, fazer uma exposição sobre este tema é, na nossa época, pensar criticamente a vida, o mundo, a sociedade”, refere José Manuel dos Santos, diretor Cultural da Fundação EDP. Da arte à história, da literatura ao cinema, da filosofia à teologia, da política à sociologia, da psicologia à medicina, a exposição conta com também com algumas obras inéditas encomendadas pela Fundação EDP especialmente para esta exposição
 

“Riso: Uma Exposição a Sério” é composta quase meio milhar de obras de mais de 300 artistas e ocupa todo o piso de exposições do Museu da Eletricidade. Depois de grandes exposições biográficas (Callas, Amália), temáticas (POVO/People, LÁ FORA) e de arte moderna e contemporânea (Manuel Baptista, Vick Muniz, Julião Sarmento, Joana Vasconcelos, Edgar Martins, Vieira da Silva, Vitor Pomar, Prémio EDP Novos Artistas), apresentadas no Museu da Eletricidade, em Belém, a Fundação EDP marca a rentrée com esta exposição que tem as portas abertas ao público até 17 de Março de 2013.
A entrada na exposição – que está aberta todos os dias – exceto à 2ª feira - , das 10h00 às 18h00, tem entrada gratuita. As visitas guiadas e os ateliers para crianças estão sujeitos a marcação prévia.

sábado, 9 de março de 2013

1ª Semana da Música da EB1

1ª SEMANA DA MÚSICA EB1 SÃO JOÃO DE DEUS


1. Apresentação

Este ano lectivo decorrerá, pela primeira vez, a Semana da Música da EB 1 São João de Deus. Este evento consiste na apresentação de peças trabalhadas nas aulas de Música das AEC perante os pais e encarregados de educação. Estes momentos de interpretação para uma audiência configuram não só uma importante ferramenta pedagógica, motivando os alunos na aprendizagem e trabalhando a sua postura em público, mas também um momento de celebração e de partilha da Música.


2. Calendarização e local

- 12 de Março (terça-feira) - terceiros anos
- 13 de Março (quarta-feira) - primeiros anos
- 14 de Março (quinta-feira) - segundos anos
- 15 de Março (sexta-feira) - quartos anos

As apresentações serão sempre pontualmente às 16h00 no auditório do Liceu Filipa de Lencastre, terminando por volta das 16h45.


3. Programa

Primeiros anos:
- 1º A - Eu Tenho Uma Laranjinha (Tradicional de Resende)
- 1º B - O Melro (Tradicional da Madeira)
- 1º C - Chegou A Primavera (Miguel Fialho)
- 1º D - O Cuco (Cancioneiro)
- Tutti - Hino Da Quinta Da Amizade (Jorge Salgueiro e João Aguiar)

Segundos anos:
- 2º A - Ciranda (Cancioneiro)
- 2º B - O Nosso Galo (Cancioneiro)
- 2º C - Peixe Vivo (Folclore Brasileiro)
- 2º D - O Pinguim (Paulo de Carvalho / Carlos Mendes)
- Tutti - Fungagá Da Bicharada (José Barata Moura)

Terceiros anos:
- 3º A - Frére Jacques (melodia tradicional francesa)
- 3º B - Maria Albertina (António Variações)
- 3º C - O Corpo É Que Paga (António Variações)
- 3º D - Onde Vai A Bruxa (Maria Luísa Barreto)
- Tutti - Rapsódia Dos Cantautores (Adriano Correia de Oliveira, Zeca Afonso, José Mário Branco, Sérgio Godinho e Fausto)

Quartos anos:
- 4º A - Uma Amizade Assim (adaptação de "Yellow Submarine", The Beatles, letra do 4º A)
- 4º B - Amigos Do Coração (adaptação de "Hey Jude", The Beatles, letra do 4º B)
- 4º C - A Amizade (adaptação de "The Lion Sleeps Tonight", Solomon Linda, letra do 4º C) 
- 4º D - Mahna Mahna (Piero Umiliani)
- Tutti - É Tão Bom (Sérgio Godinho)


4. Logística para os Pais / Encarregados de Educação e Professores

Os alunos de cada uma das turmas serão levados para o auditório e trazidos de regresso à escola pelos professores. Os pais não deverão levar os filhos directamente do auditório, mas sim da porta da escola como de costume.


--

sexta-feira, 8 de março de 2013

Dia da Mulher


Bom dia para todos, porque a felicidade e a dignidade das mulheres constroem-se com a ajuda, apoio e solidariedade dos homens. E vice-versa!

quarta-feira, 6 de março de 2013

Finalmente!

Deixar uma criança andar de bicicleta sem capacete pode resultar numa multa de até 300 euros, segundo as alterações que o Governo quer fazer ao Código da Estrada.
Na proposta de lei entregue ao Parlamento, onde agora seguirá o processo legislativo, as crianças até sete anos têm obrigatoriamente de andar de capacete. Se não o fizerem, prevêem-se multas de 60 a 300 euros, embora não seja claro a quem, em concreto, elas serão aplicadas.

Ressalve-se que a primeira proposta feita neste sentido remonta a 1998, no âmbito da DGS e de outras instituições, ou seja, há 15 anos atrás. Na altura foi elaborada legislação, com a respectiva fundamentação, mas nunca os governos, desde então, retomaram a iniciativa.



Os acidentes de bicicleta, em crianças e adolescentes, são um problema de Saúde Pública emergente em Portugal. Dados da Direcção Geral de Viação e do Observatório Nacional de Saúde apontam para um número significativo de vítimas de acidentes de velocípedes nestas idades. Mas apesar do traumatismo craniano ter sido a principal causa de morte e handicap das vítimas, apenas um número ínfimo de crianças usava capacete. E o capacete reduz o risco de traumatismo craniano em 88%.
Um estudo, realizado na Faculdade de Ciências Médicas de Lisboa, intitulado “Pedalar com Cabeça”, teve como objectivo avaliar o uso do capacete e as suas condicionantes, em crianças ciclistas dos 5 aos 14 anos e a atitude dos respectivos encarregados de educação.
Apenas 37% das crianças usavam capacete, e destas, somente 6% o tinham bem colocado e respeitando as condições de segurança. Constatou-se também que o papel dos pais era fundamental na educação das crianças, nomeadamente, no incentivo ao uso.
Por outro lado, os dados hospitalares são "arrepiantes", mostrando um número muito grande de crianças assistidas e, inclusivamente, casos mortais e de handicap definitivo. Perante os resultados obtidos, torna-se evidente a necessidade de fomentar a compra e o uso do capacete, como parte de um bloco de medidas necessárias para enraizar uma cultura de segurança em Portugal.
Pedalar com cabeça talvez seja mais rentável do que arriscar-se a escavacar o “computador central” em qualquer lancil do passeio.  
PS: de qualquer forma, mesmo com lei, competirá aos pais, desde o processo de compra/oferta da bicicleta até ao dia-a-dia, insistir neste assunto. Deixar crianças andar de bicicleta sem capacete é expô-las a um risco elevado: quando cai, uma criança tenta agarrar-se ao guiador, não se defende, bate com a parte lateral da cabeça onde, precisamente, o osso é mais fraco (o osso "parietal") e passa a artéria meníngea média, facilmente conducente a uma extensa hemorragia cerebral. A queda lateral dá uma pancada de "coelho" que não precisa de ser forte para magoar, e muito.
O mesmo se diz do cotovelo e do joelho, articulações muito complexas que também devem ser protegidas quando do andar de bicicleta.

É pena que um país que perdeu o seu maior campeão ciclista, Joaquim Agostinho, na sequên­cia de um traumatismo craniano resultante de uma queda quando o ciclista conduzia sem capacete, ainda esteja tão longe de se aperceber dos riscos que os jovens ciclistas correm.