terça-feira, 30 de outubro de 2012

Preparação do Halloween


Os Atelier “Papeis e Pincéis”, “EUREKA!”, “Ideias Flutuantes” e “Pequenos Actores” realizarão as seguintes actividades em conjunto e em parceria, a propósito do Halloween:
 
Decoração da Abóbora caracterizada pelo respectivo Atelier;
 Construção de Máscaras;
 Concepção de saquinhos de guloseimas;
 Recortes de Abóboras e Morcegos, (cartolinas) utilizando fio de pesca e paus (reutilização de madeiras finas de estores velhos) para usar como suporte.
 
 
e ainda construção de Casas Tridimensionais.
Festa dia 31, na CASA ASSOMBRADA...


quinta-feira, 25 de outubro de 2012

Protocolo com o Cambridge Institute


Caros Pais e Encarregados de Educação,


Informamos que a APEE celebrou um Protocolo com as Escolas CAMBRIDGE que oferece a todos os associados da APEE (incluindo o ATL do 2.º ciclo) - alunos, colaboradores e familiares diretos (cônjuges e filhos), desde que devidamente identificados, um desconto de 10% sobre o valor das mensalidades dos seus cursos de inglês, francês e alemão.

Esperamos que a iniciativa seja do interesse dos associados e de toda a comunidade educativa.

Ana Romão

(Direção da APEE)

quarta-feira, 24 de outubro de 2012


No âmbito do Programa de Apoio à Natação Curricular, informamos que será realizado o Festival de Encerramento do Programa de Apoio à Natação Curricular no dia 10 de Novembro (Sábado) na Piscina do Clube VII das 15.30 às 17.00 horas, destinado à participação livre dos alunos que integram o Programa, visando testar as aprendizagens já realizadas.

Os Encarregados de Educação e/ou outros familiares acompanharão os seus educandos.Todas as crianças presentes na Festa de Encerramento receberão a touca do Programa

sábado, 20 de outubro de 2012

Atelier "Objectos Flutuantes"

A Desconstrução de um Objecto




Fica aqui a notícia de um atelier da CAF, orientado pela monitora Gina Flor.

Este trabalho desenvolve um carácter inventivo, que parte da desconstrução de um objecto inventado, modulado em plasticina por cada aluno. O objecto é depois registado em desenho, e colage. As colagens são utilizadas de forma consciente de aprender a reutilização de materiais.




sexta-feira, 19 de outubro de 2012

Sabe o que os seus filhos fazem na Net?


É possível que fosse especialmente frágil. É possível que, se não fosse por isto, baqueasse por outra razão qualquer. Mas foi agredida. E teve o desprezo dos colegas, dos amigos e dos demais que, afinal, a trataram como "saco de pancada" para o lobo feroz que existe dentro de todos nós. Dá jeito, ter alguém a quem bater. As feras habitam o nosso íntimo. E se algumas são predadoras, como o homem que a violentou, outras devoram as vítimas que os outros agridem, como os colegas de escola.
Um caso para pensar. E para nos interrogarmos: sabemos o que os nossos filhos andam a fazer na internet?

"Não tenho ninguém. Preciso de alguém. O meu nome é Amanda Todd." No dia 10 de outubro, uma adolescente de 15 anos enforcou-se em casa, em Vancouver, no Canadá, depois de muitos anos de tormento. Foi a própria a revelar a sua história trágica, que chocou o país, num vídeo publicado no YouTube há um mês. Quando tinha 12 anos, Amanda Todd costumava conferenciar com os amigos da escola através da webcam que tinha no quarto. Um dia, desafiada por um utilizador anónimo, mostrou o peito, mas arrependeu-se rapidamente. A partir daí, nunca mais teve sossego.

O homem começou a importuná-la e, após as recusas de Amanda de aceder aos seus pedidos, ameaçou contar tudo aos amigos da adolescente. Cerca de um ano depois do primeiro incidente, o perseguidor encontrou os amigos de Amanda no Facebook e adicionou-os a um grupo com a fotografia dela sem camisola.
A adolescente canadiana entrou em depressão e recorreu a ajuda psicológica, mas tentou matar-se em duas ocasiões, de acordo com o que conta no vídeo publicado no YouTube, no qual explica, em nove minutos dramáticos, o inferno por que passou, recorrendo a cartões com frases escritas.
"Perdi o respeito de todos e os amigos", lê-se no vídeo de Amanda, cuja mudança de escola e de cidade também não melhorou a situação. Os novos colegas acabaram por descobrir tudo e Amanda voltou a ser humilhada.
Mais tarde, surgiu o boato de que a adolescente estaria interessada no namorado de uma colega, pelo que um grupo de jovens apanhou-a desprevenida à entrada da escola e agrediu-a violentamente. O pai foi buscá-la, "escondida numa valeta", e Amanda só "queria morrer". Quando chegou a casa, bebeu um frasco de lixívia. "Matou-me por dentro, pensei mesmo que ia morrer", explica no vídeo, mas acabou por ser transportada para o hospital, onde lhe fizeram uma lavagem ao estômago.
Mesmo assim, o bullying através das redes sociais nunca cessou. "Mandavam-me fotografias de líxivias e de valetas. Disseram-me 'espero que experimentes outra lixívia da próxima vez'". Amanda voltou a tentar matar-se, com uma overdose de comprimidos, mas não foi bem sucedida. Até ao passado dia 10, quando foi encontrada enforcada em casa.

(Notícia extraída do Expresso on-line)

quinta-feira, 18 de outubro de 2012

Pedro Rego - Novo Mestre Nacional


Parabéns, Professor!

A Federação Portuguesa de Xadrez acaba de nomear o mais recente Mestre Nacional, Pedro Rego, professor na nossa Escola. Apenas com 21 anos de idade, actualmente a defender o Clube TAP, conseguiu em Outubro atingir por 6 vezes mais de 2200 de Elo, tendo actualmente chegado ao seu máximo de 2233.

Parabéns. Os nossos filhos estão, realmente, em boas mãos.
Viva o Professor Pedro por este brilhante Xeque-Mate!!!

quarta-feira, 17 de outubro de 2012

A não perder - exposição de Danuta Wojciechowska

No edifício principal do Filipa, está uma exposição a não perder, com ilustrações para livros infantis de Danuta Wojciechowska - está aberta às horas de serviço da Escola.
A artista nasceu em 1960 no Canadá e licenciou-se em Design de Comunicação pela Escola Superior de Design de Zurique. Obteve uma pós-graduação em Educação pela Arte, no Emerson College, Sussex, Inglaterra.
Desde 1984 vive em Portugal. Fundou o atelier Lupa Design onde trabalha em design, ilustração e cenografia. Tem-se dedicado às áreas da educação social, ambiente e cultura com particular relevo para a ilustração.
Foi distinguida com Menções Especiais do Prémio Nacional de Ilustração pelas ilustrações do livro “Fala-Bicho”, de Violeta Figueiredo, “O Limpa-Palavras e outros poemas”, de Álvaro Magalhães, “O Gato e o Escuro”, de Mia Couto, e “Mouschi o Gato de Anne Frank” de José Jorge Letria, tendo ilustrado muitos outros autores, como Manuel Alegre ou Ondjaki, por exemplo;
Em 2002 foi seleccionada pela The White Ravens – A Selection of International Children´s and Youth Literature, com o livro “O Gato e o Escuro”, de Mia Couto.

Em 2003 foi seleccionada para a Exposição Internacional de Ilustradores da Feira do Livro Infantil de Bolonha e ainda como candidata nacional ao prémio Hans Christian Andersen 2004, atribuído pelo IBBY – International Board oF Books.

 





terça-feira, 16 de outubro de 2012

Dia Mundial da Alimentação

Sendo os erros alimentares um dos maiores causadores de problemas de saúde, designadamente na génese das chamadas "doenças de sobrecarga" (hipertensão, obesidade, diabetes, doenças reumatismais, doenças cardiovasculares, alguns tipos de cancro, graves problemas de auto-estima e do foro da saúde mental, etc), é bom repensar a alimentação dos nossos filhos, neste Dia Mundial da Alimentação.

A comida da escola, mesmo que por vezes de apresentação "menos apetecível", é de confiança e compelta. Para muitas crianças em idade escolar, aliás (mesmo que menos na nossa Escola), a refeição do refeitório é a única refeição quente que têm no dia inteiro - esta situação tem aumentado e vai aumentar mais, com o agravamento da crise e com a incapacidade política de lhe fazer frente.

Aproveitemos o jantar, hoje, para debater com os nossos filhos a sua alimentação, não apenas em qualidade, mas como em quantidade, em maneira de se servir, de mastigar, de saborear. Voltaremos ao tema, por o considerarmosde uma importância fundamental.

Os nossos filhos poderão viver até aos 100 anos. Mas que o consigam com saúde, e não dependentes de uma máquina ou com limitações grandes e uma qualidade de vida deplorável.

quinta-feira, 4 de outubro de 2012

Alteração nos horários do Clube de Xadrez



Informamos que os horários do Clube de Xadrez sofreram uma alteração.

 
Assim, o Clube terá treinos para todas as crianças, no seguinte horário: 2ªs, 4ªs e 6ªs das 17:45h às 18:30h.
Relembramos que, para  inscrições, alterações de horário ou qualquer outro assunto relacionado com o Clube, deverá ser utilizado o seguinte email:
xadrez@apeesjd.pt

quarta-feira, 3 de outubro de 2012

Maus comportamentos: tolerância zero!

A propósito da malcriação que muitas pessoas exibem, designadamente as crianças nas salas de aula, cremos que é uma questão que merece ser abordada e debatida.

Todos sabemos de casos de alunos que se portam mal, deliberada e ostensivamente, ultrapassando as fronteiras do admissível e até da desvergonha, e gabando-se disso, pensando sair em alta. Qualquer aprendiz de psicólogo explicará o fenómeno e até pode adiantar causas familiares e outras, baixa auto-estima, narcisismo, arrogância... enfim, um sem-número de razões.
 
Os alunos que desafiam (como dizemos, para lá do admissível e do que é normal nestas idades) têm (ou julgam ter) a seu favor o medo que inspiram nos outros e o que acaba por ser a protecção do "sistema", que olha com muita complacência (demasiada, na nossa opinião) estes malcriadões, muitos deles que nem sequer podem argumentar com "um lar desestruturado" ou outra coisa qualquer, bem pelo contrário, são fruto dos excessos de mordomias, favores e elitismo. Malcriação pura e simples, e sensação de omnipotência e de impunidade, são as razões. Os outros alunos sentem-se, muitas vezes, atraídos por este modus vivendi, sobretudo se vêem que não há sanções ou que estas são inconsequentes e a sua Ética fica numa enorme ambivalência.
 
É bom que não fiquem, e é bom que, professores e escola, chamem os pais das criancinhas, para lá de punir estas (trabalhos cívicos, como varrer as folhas do pátio ou fazer pequenos serviços seria uma óptima ideia, em vez de irem para o recreio mais cedo), e lhes façam ver que a Escola Pública não é a latrina onde estes meninos podem fazer as suas necessidades, designadamente descarregar a sua parte má.
 
Há dias foi noticiado que uma universidade decidiu abrir um inquérito (entetanto já arquivado, mas aberto na mesma) a um estudante que chamou filho da puta ao primeiro-ministro. Como refere o jornalista Henrique Monteiro, "já todos nós chamámos filho da puta a alguém que não é, assim como chamámos a pessoas que o são. O problema não é a gravidade do insulto, ou se o primeiro-ministro ficou ofendido, ou até se o é; o problema é se uma instituição universitária deve deixar passar sem reparo o facto de um estudante seu chamar publicamente filho da puta a uma pessoa que visita essa instituição. É um problema de educação". E pense-se o que se pensar do PM, não se podem fazer concessões à malcriação consoante a nossa simpatia ou antipatia relativamente à pessoa a quem o insulto ou a agressão é dirigida.

E quando se fala que, agir, é voltar aos fantasmas do "antigamente, Henrique Monteiro relembra:  "Alberto Martins, actual deputado e, em 1962, presidente da Associação Académica de Coimbra,  dirigiu-se a Américo Thomaz  da seguinte forma: "Sua Ex.ª, Senhor Presidente da República, dá-me licença que use da palavra nesta cerimónia em nome dos estudantes da Universidade de Coimbra?". A palavra foi negada e houve uma carga policial. Não nos refugiemos, pois, na repressão ou na vitimização dos alunos. Naquela altura, houve uma manifestação intolerável ditatorial e indesculpável de quem reprimiu. Agora, os tempos são de democracia, e um malcriado, tenha a idade que tiver, é sempre um malcriado. E num Estado de Direito e numa Escola Pública que assenta num Estado de Direito, as malcriações não podem passar incólumes porque lesam o bem-estar dos restantes cidadãos. Que, nas escolas privadas, isso se faça, não é problema nosso. Nas públicas, como a São João de Deus e o Agrupamento, é um problema da cidadania.
 
PS. de qualquer modo, deverão ser sempre os adultos a tentar perceber o que se passou e a estabelecerem regras, sem pressionar as outras crianças a serem delatores ou "colaboradores", salvo os casos em que são vítimas e em que devem, sim, comunicar os factos aos professores e auxiliares.
 

terça-feira, 2 de outubro de 2012

Aprender música - as vantagens





Ontem foi o Dia Mundial da Música. E uma questão pode surgir: porque razão hão-de as crianças estudar e aprender música? Será que é algo realmente necessário ou que só deveria ficar reservado àquelas que têm um talento muito especial. Mas... e o que é isso, de talentos? Como se descobrem? Como se estimulam? Provavelmente todos teremos enormes potencialidades nunca conhecidas e que nunca transformaremos em realidade. Com alta probabilidade, a maior parte de nós próprios permanecerá para sempre escondida e morrerá connosco. E a música? Deverão as crianças estudá-la? E se sim, como? De uma maneira semelhante às outras disciplinas? Será isso possível? Será apenas uma moda e um sinal de novo-riquismo? Porqu~e o ensino da música na Escola? E porque não podemos abrir mão desta vertente, mesmo em prol da Matemática ou do Português?
Está cientificamente provado que o estudo da música permite às crianças adquirir conhecimentos e modelar competências e atitudes que permanecem durante toda a vida, influenciando também outras áreas do conhecimento e do comportamento. Por outro lado, a aprendizagem e a prática da música estimula a coordenação, a objectivação, a capacidade de concentração e também a de cooperar com os outros e produzir algo para prazer do próprio e dos que o rodeiam. E isso não é nada pouco.
E, finalmente, é sabido que tudo em nós é musical, melódico, e que os ritmos e sons podem fazer a diferença entre o bem-estar e a angústia, a segurança e o abandono.
A música é a arte perfeita, e faz parte da essência do ser humano. Daí a necessidade de a ouvir, sentir, tocar, conhecer, desvendar e... a amar.
 
PS: que tal inscreverem os vossos filhos no Coro da Escola? Seria uma boa maneira de os ajudar a desenvolver esta vertente, apra lá das aulas de Música. Fica a sugestão.

segunda-feira, 1 de outubro de 2012

Ideia para uma actividade extra-curricular


Apenas uma sugestão. Breve. Rápida.

Quando estiverem a programar o ano lectivo das vossas crianças, com natação, judo, karaté, ténis, volei, ginástica, inglês, computador, hip-hop, ballet, futebol, francês, música, pintura, piano, violino, ATLs e ateliers, não se esqueçam de uma actividade que é a mais recomendável em termos afectivos, psicológicos, cognitivos e inter-activos. Que associa a brincadeira à aprendizagem de regras. Que é a mais estimulante porque mais relacional. E não implica deslocações, perda de tempo em transportes, esperas, inscrições, vagas e, ainda por cima... é grátis.
Milagre? Não Estamos a falar de uma a duas horas por semana de... pais. É. Disponíveis, inteiramente dedicados à causa, sem computadores, telemóveis, consolas, cozinhas, tarefas domésticas ou outras distracções mais. Com programas variados e inventados no momento. Pais. O melhor desporto, arte e local de ensino aprendizagem... experimentem, e “não neguem à partida uma ciência que eventualmente desconhecem!”...