sexta-feira, 4 de novembro de 2011

Estudo das mochilas - alguns resultados


Os resultados do "Estudo das Mochilas" serão enviados por mail aos pais e estarão disponíveis na Escola. Contudo, aqui ficam alguns dos aspectos mais interessantes:

Dados gerais - peso das mochilas
Neste estudo, foram pesados 630 alunos (e as respectivas mochilas), 340 pertencentes ao 1º ciclo e 290 ao 2º ciclo. O número de alunos cujos pais não autorizaram a entrada no estudo foi de 10 e o número de crianças que se recusaram a participar foi de sete. Relativamente à distribuição da amostra por sexos, 51,4% correspondia a alunos do sexo masculino e 48,4% do sexo feminino. No total, entraram no estudo 97,4% do total dos alunos da Escola EB1 e EB2.

A média da relação peso da mochila/peso do aluno foi de 12,3%. A comparação entre os diferentes resultados mostrou uma diferença estatisticamente significativa entre os diversos anos. O 1º (11,5%) e o 5º (13,4%) anos são aqueles que apresentam em média uma relação peso da mochila/peso do aluno menor e maior, respectivamente.

A prevalência de alunos do 1º e 2º ciclos da escolaridade obrigatória com excesso de peso na mochila escolar foi de 68,4%. Verificámos que 70,2% dos alunos do sexo feminino transportava excesso de peso, enquanto que, para os do sexo masculino, esta percentagem correspondia a 66,8%. As diferenças que encontrámos entre os diferentes anos não foram significativas em termos estatísticos.


Questionário
Dos 630 alunos que participaram no estudo, 544 (do 2º ao 6º ano) responderam ao questionário - o 1º ano foi excluído à partida, pelas dificuldades antecipadas no seu preenchimento. Dos 544 questionários realizados, considerámos como válidos 541, de acordo com os critérios estabelecidos. No que toca à distribuição das crianças que preencheram o questionário, 251 pertenciam ao 1º ciclo e 290 ao 2º ciclo.

Tipo de mochila
Através da análise das respostas ao questionário, verificou-se que o tipo de mochila mais utilizada foi a “de levar às costas” (82,0%), com 72,4% dos alunos do 1º ciclo e 90,3% dos do 2º ciclo a preferirem este tipo de mochila. Apenas 13,7% dos alunos usavam mochila “com rodinhas”. Dos alunos do sexo feminino 16,7% utilizavam este tipo de mochila enquanto, no sexo masculino, esta percentagem foi de 11,0%. No 1º ciclo, 25,2% utilizavam este tipo de mochila, sendo esta percentagem inferior no 2º ciclo (3,8%). Das razões apresentadas para a não utilização de mochila “com rodinhas”, a mais assinalada (com 79,2%) foi “porque não dá jeito para subir escadas, andar ou usar em transportes públicos…”.

Conteúdo das mochilas
Relativamente ao conteúdo das mochilas dos alunos, investigou-se o material escolar trazido nesse dia, o lanche e outro tipo de objectos. Assim, 38,8% dos alunos referiram transportar para a escola o material de educação física, 34,8% afirmaram levar instrumentos musicais e 9,2% o computador Magalhães. Ao serem confrontados com a questão: “Além dos livros escolares, o que costumas levar na tua mochila?”, 82,4% dos alunos referiram levar o lanche da manhã e 53,4% o lanche da tarde, 30,3% transportar outros livros, 24,8% levarem brinquedos, 5,0% transportarem consolas de jogos e 7,6% afirmaram levar aparelhos de música. A distribuição destas variáveis por sexos encontra-se expressa no Gráfico 3. Relativamente ao transporte de brinquedos nas mochilas escolares, a diferença entre ciclos é altamente significativa: 43,4% dos alunos do 1º ciclo e 8,7% dos do 2º ciclo referiram fazê-lo.

Organização das mochilas em casa
Sobre a organização das mochilas escolares, 67,5% dos alunos afirmaram rever todos os dias o conteúdo daquelas e 5,4% nunca o fazerem. Dos alunos do 1º ciclo, 45,8% referiram rever o seu conteúdo todos os dias, enquanto que, para o 2º ciclo, esta percentagem foi de 86,4%. Quanto à supervisão da mochila pelos pais, 28,6% das crianças referiram que os pais revêem o conteúdo da mochila todos os dias e 19,5% que os pais nunca o faziam.

Percepção dos alunos
Relativamente à percepção das crianças sobre o peso da sua mochila, 55,5% consideraram que esta era pesada, 27,2% que era leve, 38,1% que era confortável. No entanto, 38,1% afirmaram ficar cansados e 27,0% com dores depois de a usarem.
No que respeita ao transporte da mochila para a escola, a grande maioria dos alunos (82,0%) afirmaram serem eles a levá-la.


Sugestões dos alunos
Em resposta à pergunta aberta “O que achas que podias fazer para que a tua mochila ficasse mais leve?”, obtiveram-se as seguintes sugestões (em percentagem)

Não colocar na mochila material desnecessário = 26.8
Utilizar cacifo / deixar material na sala de aula = 17.0
Nada / a mochila já é leve = 15.3
Retirar da mochila material não escolar = 8.1
Levar para a escola menos livros/cadernos por disciplina = 7.9
Rever/ organizar o conteúdo da mochila diariamente = 5.4
Trocar para uma mochila mais leve/confortável ou com rodinhas = 2.8
Trazer menos estojos/ canetas/lápis = 2.6
Não trazer lanche / comprar o lanche na escola = 1.5
Levar para a escola apenas folhas e depois arquivá-las em casa = 1.5
Ter menos disciplinas por dia = 1.5
Livros e cadernos mais leves = 1.3
Ter orientação do professor relativamente ao material a levar para cada aula = 0.9
Utilizar os livros em formato digital = 0.7
Outras respostas = 2.6

Os autores agradecem às crianças e aos professores, bem como à Direcção da Escola e à APEE, todo o apoio e colaboração.

Sem comentários: