quarta-feira, 27 de janeiro de 2010

explicar o Haiti às crianças




As imagens que chegam do Haiti devem ser aproveitadas para, de uma forma positiva e pedagógica, os pais explicarem aos filhos o que são catástrofes naturais e como está nas suas mãos ajudar as crianças vítimas do terramoto.

Perplexidade e medo são os sentimentos mais prováveis nas crianças quando assistem às imagens do terramoto no Haiti, as quais podem levar as crianças a questionar como é que uma coisa destas pode acontecer a meninos tão pequenos como elas.

Crianças são crianças, e as crianças portuguesas pensam, seguramente, que no Haiti os meninos viviam bem, iam à escola, tinham frigoríficos, microondas, televisão e consolas, ao contrário do que mostram agora as imagens. Esta é, pois, uma boa oportunidade de ensinar aos mais novos as diferenças das sociedades e o sentido de palavras como a fome e a injustiça.

Todavia,  as explicações dos pais não devem resultar em sentimento de culpa dos filhos, designadamente por não estarem a sofrer uma desgraça semelhante. A mensagem deve ser: "ninguém no mundo merece isto", mas esta também pode ser "uma janela" que se abre no sentido de cultivar a generosidade no coração dos mais pequenos. É conveniente explicar que, apesar de ter morrido muita gente, o Haiti há-de levantar-se graças à generosidade dos outros, e as crianças podemcontribuir, por exemplo, com parte da mesada. Ontem mesmo, os meus filhos abdicaram da semanada dominical, e vieram trazer mais algum dinheiro para colocar na conta de auxílio às vítimas.

No fundo, a "perda da inocência" que representa uma catástrofe como esta pode custar menos, pois os crianças portuguesas poderão olhar para as haitianos, lamentar o seu sofrimento, mas saber que as ajudaram.
Mário Cordeiro

segunda-feira, 25 de janeiro de 2010

almoços do 1º ciclo


Depois de protestos e quase greves, quando era a famigerada Nordigal a fornecer a alimentação do 1º ciclo, parece consensual que o "restaurante Altos Infantes" (qualquer dia 3 estrelas no Michelin) tem cumprido a sua missão.

"A comida éstá óptima!" - ouvir isto de quem antes se lamuriava (com alguma razão) é excelente. Espero que se mantenha a este nível durante todo o ano, e que os organizadores sejam devidamente elogiados.

PS. não se poderia arranjar uma maneira mais fácil de pagar os almoços, por exemplo por transferência bancária ou multibanco?


terça-feira, 12 de janeiro de 2010

medidas para prevenir a obesidade


Não se trata de proibir a publicidade. As empresas prometem apenas afastar da TV, no horário das crianças menores de 12 anos, os produtos que tenham sal, açúcar ou gordura em excesso.


As 26 empresas que assinaram em Novembro um compromisso de auto-regulação dizem estar dispostas a controlar a publicidade televisiva de produtos alimentares, nos horários em que a audiência de menores de 12 anos seja superior a 50 por cento. Tudo em nome do combate à obesidade infantil.

O plano será executado já este ano e no início de 2011 será conhecido o primeiro relatório com uma avaliação independente sobre o impacto da medida.

Público



Mas claro que há que começar lá em casa... a educar, a dar exemplos, a ser rigoroso com o que se tem na despensa e no frigorífico, e também no que se confecciona e como se confecciona...
Mário Cordeiro